Sobre

O site Antropofagias é parte integrante da pesquisa de doutorado intitulada Semiofagias canibais. O ponto de vista da alteridade a partir de uma abordagem semiósica multinaturalista da cultura, sob orientação da Prof ª Drª Nísia Martins do Rosário, vinculada ao grupo de pesquisa Corporalidades e ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul — UFRGS.

Semiofagias canibais: o ponto de vista da alteridade a partir de uma abordagem semiósica-multinaturalista da cultura (Tese doutoral)

Acesse a íntegra. A presente tese se inspira no pensamento indígena perspectivista com o propósito de produzir aproximações e tensionamentos entre a Semiótica da Cultura, a Antropofagia e o Multinaturalismo, com vistas à construção de uma abordagem semiósica-multinaturalista da cultura à qual denominamos semiofagias canibais. O problema de pesquisa que serviu de delimitador e orientador da condução do trabalho é o seguinte: Como se configuram e quais são os princípios das semiotizações indígenas baseadas num pensamento semiósicomultinaturalista da cultura e como ele pode tensionar a comunicação e a semiótica? Nessa mesma via se configura o objetivo geral que visa formular e descrever uma abordagem semiósica-multinaturalista da cultura, a partir das interações teóricas e pragmáticas empreendidas por seus eixos fundantes. Os objetivos específicos complementam o problema e o objetivo geral à medida que apresentam os fundamentos que sustentam as teorizações basilares. Neste sentido, dividimos este estudo em quatro capítulos teóricos, nos quais os três primeiros – Semiótica da Cultura, Antropofagia e Multinaturalismo – abordam em profundidade os pilares conceituais da tese, e no quarto – semiofagias canibais – construímos uma teorização conceitual-pragmática que visa responder ampla e objetivamente o problema de pesquisa. Em termos de estrutura metodológica, a investigação se organiza fundamentalmente pela pesquisa bibliográfica dos três eixos que compõem a investigação basilar e também pela pesquisa documental que trouxe complementação para as reflexões a partir de entrevistas e eventos com pensadores indígenas e acadêmicos interessados pelo tema, filmes e bibliografia especializada sobre as conceitualizações fundantes. Entre os resultados da pesquisa podemos apontar que as semiofagias canibais articulam seis princípios que envolvem identificar o humano de uma dada relação semiótica, reconhecer as distintas modelizações desde diferentes naturezas, perceber as relações comunicacionais baseadas na inimizade indígena, considerar a equivocidade inerente às semiotizações semiofágicas canibais, repensar os próprios sistemas semióticos a partir da alteridade e levar em conta a diferOnça como a diferença transitória próprias das semioses canibais.

A pesquisa

A investigação se inspira no pensamento indígena perspectivista com o propósito de produzir aproximações e tensionamentos entre a Semiótica da Cultura, a Antropofagia e o Multinaturalismo. O projeto, certo sentido ambicioso, delimita marcos gerais de investigação, cujos desdobramentos e implicações serão desenvolvidos ao longo dos próximos anos, seja em pesquisas independentes ou institucionais.

Portanto, a abordagem semiósica-multinaturalista da cultura, que denominamos Semiofagias canibais, defendida como tese de doutorado em maio de 2021, é apenas o princípio de um longo projeto de pesquisa acadêmica cuja primeira etapa foi concluída, mas que deve se desdobrar em diversos aprofundamentos necessários a uma temática que exige imenso repertório teórico e anos de aprofundamento e leituras. Trata-se de um projeto de longo prazo.


Rico Machado


rico_machado-autor

Doutor em Cultura e Significação no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Jornalista de formação, é mestre em Comunicação, na Linha de Pesquisa Audiovisualidades das Mídias na Unisinos onde também realizou Especialização em Filosofia. É editor do site Antropofagias e jornalista no Instituto Humanitas Unisinos – IHU.


Redes Sociais